QUEM SOMOS

A MTI – Ferro de Moncorvo, S.A., iniciou a sua actividade em Portugal em 2005, tendo como objecto social a prospecção, pesquisa, avaliação e exploração de recursos minerais. Em 2008 a empresa celebrou com o Estado Português um contrato de prospecção e pesquisa de depósitos minerais de ferro no concelho de Torre de Moncorvo.

Desde então a MTI cumpriu todas as suas obrigações contratuais, realizando os trabalhos previstos e os necessários à consolidação do projecto de exploração, demonstrando-o exequível, inteiramente vocacionado para as exportações e de grande relevância para a economia regional e nacional. 

Em Novembro de 2012 o Estado Português assinou com a MTI o contrato que permite o arranque do período de exploração experimental dos depósitos de minério de ferro em Moncorvo, atribuindo-lhe a autorização para, em 4 anos, definir a viabilidade técnico-económica da mina e elaborar o Estudo de Impacte Ambiental e Social do projecto, de forma a assegurar a sustentabilidade da retoma da exploração das minas de ferro de Moncorvo.

NOTÍCIAS
Torre de Moncorvo poderá fornecer material para recuperação da orla costeira.

No passado dia 20 de Fevereiro, o Presidente da Câmara de Torre de Moncorvo, em declarações à Lusa, honrou a MTI ao descrever uma importante componente do projecto que a empresa está a preconizar para a extracção de ferro naquele concelho.

 

A notícia pode ser lida em vários sites online. Em concreto, pode ler-se no Jornal “O Publico”, neste link.

MTI apresenta resultados do 1º ano de trabalhos

Dezembro de 2013 - Para marcar o 1º ano do Contrato de Concessão de Exploração Experimental das minas de Moncorvo e a exemplo do que havia acontecido em Julho passado, no âmbito do compromisso da MTI em dar conta pública do desenvolvimento dos trabalhos de exploração experimental, realizou-se em Lisboa, no passado dia 13 de Dezembro, mais uma sessão de apresentação dos trabalhos efectuados e dos seus resultados, bem como a expectativa dos trabalhos a desenvolver no 2º ano de concessão experimental, nas suas várias valências, nomeadamente no que se refere ao Estudo de Impacte Ambiental e à avaliação técnica de opções de projecto e logística.

A sessão, de carácter técnico e destinada aos representantes das instituições e aos "stakeholders" mais directamente interessados no desenvolvimento e concretização deste projecto, contou com as seguintes apresentações: “A importância do projecto mineiro no município de Moncorvo”, pelo Presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo; “A certificação JORC das reservas minerais de Moncorvo e o Estudo de Pré-viabilidade”, por Jon Hsuan da empresa Behre Dolbear; “O estado actual do plano de lavra”, por Mário Bastos da VISA Consultores; "Moncorvo test work and pellet feed. Sinter pot results", por Carlos Guerra da MTI; “A logística e transporte do minério de ferro de Moncorvo”, pelo Comandante Adolfo Paião, da ETE; “A estruturação do EIA e a identificação dos principais impactes do projecto de reabertura das minas

de ferro de Moncorvo”, por Carlos Albuquerque da Naturauta; “Caracterização do ambiente físico na área de influência do projecto de reabertura das minas de ferro de Moncorvo”, por Paula Rocha da Naturauta; “Monitorização ambiental: sua relevância na implementação de um grande projecto”, por Miguel Coutinho do IDAD; “A colaboração entre a Universidade de Aveiro e a MTI no projecto de reabertura das minas de ferro de Moncorvo - Ferramentas de Ecologia Industrial, tais como a Avaliação de Ciclo de Vida (ACV) e a avaliação das pegadas de carbono, água e ecológica”, pelo Prof. Luís Arroja do IDAD/Universidade de Aveiro.

MTI apoia jornadas de geologia

Novembro 2013 - A MTI esteve, uma vez mais, presente no principal evento da Geologia em Portugal, organizado pela Associação Portuguesa de Geólogos. Foi em Novembro do ano passado, nos dias 28 e 29, no auditório principal do Laboratório Nacional de Engenharia Civil. Estas jornadas foram dedicadas ao tema “O potencial geológico nacional: Solução para enriquecer Portugal”.

A participação da MTI como empresa patrocinadora foi relevante uma vez que o seminário proporcionou

uma reflexão aprofundada sobre o papel dos recursos minerais na criação de riqueza em Portugal, um factor decisivo para a recuperação económica de forma sustentada e no longo prazo.

Foi uma iniciativa com elevado interesse técnico, científico, económico e social que potenciou a partilha de conhecimentos e experiências entre os diferentes players nacionais e internacionais, directa ou indirectamente ligados ao sector.

MTI apresenta resultados de 6 meses de trabalho

Julho 2013 - No âmbito do período de exploração experimental de depósitos de minério de ferro em Moncorvo e dos estudos que está a realizar, a MTI organizou no dia 1 de Julho, em Lisboa, uma sessão de trabalho que reuniu os diferentes parceiros que estão envolvidos no projecto.

O objectivo desta sessão foi o de fazer o ponto de situação dos trabalhos efectuados no terreno ao longo dos últimos 6 meses.

Esta sessão contou com a participação dos responsáveis das equipas técnicas que, nas suas áreas, lideram os trabalhos de campo. A abertura de sessão, dedicada ao tema “A importância das Minas de Moncorvo em Portugal”,

esteve a cargo do Prof. Carlos Dinis da Gama, do Instituto Superior Técnico. O Eng. Mário Bastos, da Visa Consultores, apresentou o programa de sondagens e o planeamento de lavra que está a ser ponderado pela MTI, enquanto o Dr. Carlos Albuquerque, da Naturauta - Estudos de Ambiente, descreveu a situação de referência ambiental na área das minas de ferro de Moncorvo.

A sessão continuou com a abordagem ao tema da valorização dos rejeitados de minério de ferro pelo Prof. João Labrincha, do Departamento de Engenharia de Materiais da Universidade de Aveiro. O Eng. Pedro Serra, consultor da MTI apresentou o tema da infra-estrutura e da logística do projecto mineiro de Moncorvo.

Ao Prof. Carlos Medeiros, da IPI Consulting, coube o tema do impacto económico e a sustentabilidade social do projecto de reabertura das minas de ferro de Moncorvo.

A sessão encerrou com o balanço do 1º semestre de trabalhos e a apresentação do plano para o resto do ano.

Esta iniciativa permitiu demonstrar, clara e inequivocamente, o empenho da MTI na prossecução do projecto que tem para Moncorvo e a sua preocupação em desenhar uma solução sustentável, quer do ponto de vista empresarial, quer do ponto de vista dos impactes ambiental, económico e social para o país e para as comunidades locais.

MTI organiza no dia 24 de Maio Open Day em Moncorvo

No âmbito do período de exploração experimental de depósitos de minério de ferro em Moncorvo e dos estudos que está a realizar no terreno, a MTI vai promover no próximo dia 24 de Maio, em Torre de Moncorvo, uma iniciativa a que chamou Open Day e que está integrada nas comemorações do Dia Europeu dos Minerais

(http://www.mineralsday.eu/events/country

/portugal/open-day-at-moncorvo).

Esta iniciativa, que conta com o apoio da Câmara Municipal, tem o objectivo de manter a população informada acerca da evolução do projecto, mas também o de gerir as expectativas face à realidade deste empreendimento.

A iniciativa Open Day da MTI, que decorrerá na antiga Estação da CP de Moncorvo, terá as seguintes actividades:

18h00 – Conferência "Da Jangada de Pedra de José Saramago ao minério de ferro de Torre de Moncorvo; uma visita ao nosso passado mais remoto", seguida da inauguração da exposição “Evolução; Portugal de antes da História” que ficará patente ao público até ao dia 24 de Junho.

19h30 – Sessão sobre ponto de situação do projecto da MTI, da responsabilidade de Vitor Correia, Presidente do Conselho de Administração da MTI.

Em complemento a estas duas iniciativas, irão decorrer, ao longo de todo o dia 24 de Maio, no Agrupamento de Escolas de Torre de Moncorvo, actividades experimentais

da responsabilidade do Centro de Ciência Viva de Estremoz que, no seu conjunto, permitirão aos alunos integrar os conhecimentos sobre Geologia com a evolução da região onde vivem.

Para Vitor Correia, Presidente do Conselho de Administração da MTI, «esta iniciativa pretende ser uma demonstração clara e inequívoca do empenhamento da MTI em definir para Moncorvo um projecto sustentável, assegurando uma relação edificante com as comunidades estabelecidas no interior e na envolvente próxima da área concessionada. Vitor Correia destaca ainda o inexcedível apoio e empenho da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, sem o qual não seria possível concretizar este Open Day promovido pela MTI.»

Secretário de Estado da Energia visita stand da MTI na PDAC 2013

Na sua 5ª presença consecutiva na mais importante feira do mundo do sector mineiro (a PDAC - http://www.pdac.ca/pdac/conv/), realizada em Toronto, no Canadá, a MTI teve a honra de receber na sua área expositiva o Sr. Secretário de Estado da Energia, Dr. Artur Trindade, e o embaixador de Portugal no Canadá, Dr. Pedro Moitinho de Almeida. «A visita que o Sr. Secretário de Estado nos fez é um sinal muito relevante da importância que o Governo está a dar à recuperação do sector mineiro em Portugal e, em particular, ao projecto que a MTI está a desenvolver em Moncorvo», refere Vitor Correia, Presidente do Conselho de Administração da MTI.

Durante a breve visita efectuada pelo Sr. Secretário de Estado da Energia, Dr. Artur Trindade, a MTI fez uma breve descrição do projecto que está a desenvolver em Moncorvo, destacando o investimento já efectuado desde 2008 em I&D (mais de 3,5M€), através de testes de soluções à escala piloto, e cujo resultado, obtido já em 2013, foi de 900kg de concentrado com muito baixo teor de fósforo, ficando assim resolvido o principal problema “histórico” do ferro de Moncorvo.

Vitor Correia referiu ainda ao Sr. Sr. Secretário de Estado que «a MTI está empenhada em definir para Moncorvo um projecto sustentável, integrando a exploração, a beneficiação e as opções de logística e escoamento do minério explorado e do concentrado produzido.»

Quanto à presença na mais importante feira internacional do sector, Vitor Correia salientou «tratar-se de uma opção fundamental para dar projecção aos resultados do investimento efectuado pela MTI em I&D. Por outro lado, a dimensão do jazigo de Moncorvo é suficientemente grande para despertar o interesse dos grandes players, com quem a MTI já iniciou contactos para realização de testes industriais para a produção de aço com o concentrado de Moncorvo.»

MTI presente na maior feira mundial do sector mineiro

A MTI – Ferro de Moncorvo S.A., estará presente pelo quinto ano consecutivo na maior feira internacional do mundo dedicada exclusivamente ao sector mineiro, a PDAC (http://www.pdac.ca/pdac/conv/), que se realizará em Toronto, no Canadá, nos próximos dias 3 a 6 de Março.

A presença da MTI na PDAC 2013 contribui para a consolidação da projecção nacional e internacional da empresa e do projecto mineiro que está a desenvolver em Moncorvo desde 2008.

«Têm sido inúmeros os pedidos de informação por parte de players internacionais, sobretudo, desde que em Novembro de 2012 foi assinado com o Estado português o contrato para a exploração experimental de depósitos de minério de ferro em Moncorvo», salienta Vitor Correia, Presidente do Conselho de Administração da MTI.

Na fase que se iniciou com a assinatura do contrato de exploração experimental, em Novembro de 2012, a MTI já prestou uma caução ao Estado no valor de 700 mil euros (o total a prestar de caução pela MTI ao Estado é 1,2 milhões de euros) e já iniciou várias frentes de trabalho necessárias à definição da viabilidade técnico-económica da exploração e aos estudos de Pré Viabilidade e de Viabilidade do projecto. Em paralelo já estão, também, a decorrer os primeiros trabalhos inerentes ao Estudo de Impacte Ambiental e Social. No total, a MTI estima realizar um investimento de 12 milhões de euros ao longo dos próximos 4 anos, recorrendo, sobretudo, a capitais próprios da empresa e dos accionistas.

«Estamos numa fase muito intensa de trabalho administrativo, laboratorial e no terreno e estamos muito empenhados em construir um projecto sólido e sustentável, quer do ponto de vista económico e social, quer do ponto de vista ambiental.

Estamos conscientes da importância que a futura exploração de ferro em Moncorvo tem para a região e para o país, pelo que estamos a preparar cuidadosamente todo o projecto», refere Vitor Correia.

A MTI obteve, entretanto, a confirmação de um Centro Tecnológico de referência internacional especializado em ferro, a propósito da eficiência do processo de beneficiação desenvolvido para o ferro de Moncorvo, confirmando-se que é possível reduzir o teor de fósforo do ferro extraído de 0,5% para menos de 0,08%. A MTI está actualmente a ultimar um acordo para envio de cerca de 500kg do concentrado produzido para dois grandes operadores siderúrgicos realizarem ensaios industriais relacionados com o fabrico de aço.

MTI convida população de Torre de Moncorvo a conhecer projecto

No passado dia 29 de Janeiro, e tendo em consideração o elevado interesse estratégico do projecto, quer para a região, quer para o país, a MTI, com o apoio imprescindível da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, organizou uma apresentação pública às forças vivas locais, durante a qual clarificou e prestou todos os esclarecimentos necessários sobre o projecto e sobre a MTI.


O objectivo da sessão foi o de demonstrar a capacidade humana, técnica e financeira da MTI, clarificar o âmbito do acordo celebrado com o Estado português, o conjunto de trabalhos a desenvolver ao longo dos próximos 4 anos, em particular para definir as opções técnicas a adoptar na futura exploração, processamento e transporte do minério.


A MTI clarificou ainda os investimentos a realizar nesta fase de desmonte experimental e antecipar as estimativas de investimento e de criação de riqueza para a região e para o país. A MTI apresentou, também, as linhas gerais da sua política de sustentabilidade, enquanto elemento fundamental para a concretização deste projecto.

Assinatura de Protocolo entre o Estado Português e a MTI

Em 13 de Novembro de 2012 o Estado Português assinou com a MTI o contrato que permite o arranque do período de exploração experimental dos depósitos de minério de ferro em Moncorvo,


 atribuindo-lhe a autorização para, em 4 anos, definir a viabilidade técnico-económica da mina e elaborar o Estudo de Impacte Ambiental e Social do projecto, de forma a assegurar a sustentabilidade da retoma da actividade nas minas de ferro de Moncorvo.